ETAR de Albufeira Poente | Águas do Algarve

ETAR de Albufeira Poente

A ETAR intermunicipal de Albufeira Poente situa-se na freguesia da Guia, concelho de Albufeira e serve os Municípios de Albufeira, Silves e Lagoa. A instalação foi dimensionada para servir no horizonte de projeto 133.900 habitantes equivalentes, correspondendo ao caudal médio diário de 28.119 m3/dia. O sistema intercetor de Albufeira Poente tem cerca de 
45 km e é constituído por um conjunto de 15 estações elevatórias. 

A ETAR contempla na fase líquida as etapas de tratamento preliminar, biológico, físico-químico e desinfeção, possuindo ainda uma etapa de filtração e desinfeção adicional para produção de água de serviço. 
O tratamento preliminar possui as seguintes operações unitárias:
•    Elevação do afluente bruto proveniente da Guia para poço de reunião com o afluente bruto da EE4,
•    gradagem mecânica e 
•    desarenamento/desengorduramento.

O tratamento biológico é efetuado através de sistema de lamas ativadas em regime de arejamento prolongado com nitrificação/desnitrificação, materializado através de três reatores biológicos com zonas anóxicas e aeróbias e três decantadores secundários, constituindo três linhas de tratamento. O fósforo é removido através da via química mediante adição de um agente coagulante nos reatores biológicos.

O efluente, após tratamento biológico, é sujeito a desinfeção por ultravioletas (UV), estando a ETAR dotada de três linhas independentes.

Parte do efluente tratado é elevado para o sistema de filtração, por filtros de areia e é armazenado em reservatório, com vista à produção de água de serviço, a qual é desinfetada por sistema de radiação ultravioleta em conduta fechada.
A fração de efluente que não é reutilizada no recinto da ETAR, como água de serviço, é descarregada na Ribeira de Espiche.
A fase sólida consiste em duas linhas de espessamento gravítico e desidratação por centrifugação, seguidas de armazenamento temporário, em silos.

Relativamente ao controlo de odores, a instalação é dotada de sistemas de ventilação e extração do ar viciado, abrangendo os órgãos e locais potencialmente geradores de odores. O ar extraído é desodorizado por um sistema de tratamento biológico. Numa fase inicial, o ar sofre um pré-tratamento na torre de lavagem vertical, onde é adicionado água, para criar condições ótimas de humidade, temperatura e pH. Posteriormente este ar humidificado é tratado no biofiltro.

Tendo em conta o enquadramento legal aplicável, os objetivos de qualidade do efluente tratado descarregado no meio recetor, consideram o cumprimento dos valores limite de emissão fixados na licença de descarga da ETAR:
•    CBO5 – 25 mg/L O2
•    CQO – 125 mg/L O2
•    SST – 35 mg/L
•    NT – 10 mg/L
•    PT  – 1 mg/L
•    Escherichia Coli – 2.000 NMP/100 ml
 


 

Localização Geográfica: